11 de fevereiro de 2016

Personalidades #13 - Mort Walker

Oi gente!

No feriado fiz várias leituras. Uma delas foi leve e engraçada, porque resolvi matar a saudade de um dos meus personagens favoritos dos quadrinhos de infância. O Recruta Zero! Sério gente, além da Luluzinha (já mencionada nessa postagem aqui), eu amava ler os gibis do Zero, dava muitas gargalhadas, principalmente com a pegação de pé do Sargento Tainha para com o coitado. E dias atrás, comprei uma edição especial das tirinhas e comprovei, décadas depois, que continuo rindo alto quando leio o Recruta. E por isso resolvi registrar o seu criador, Mort Walker, aqui na série Personalidades, afinal de contas é mais que merecido, já que aos 87 anos, ele continua publicando!


Foi em El Dorado, no Kansas, que nasceu Addison Morton Walker, em 1923. Filho de um arquiteto (metido a poeta e música nas horas vagas) e de uma ilustradora de jornais (opa!). Assim, em datas especiais, era normal seu pai escrever um poema e sua mãe ilustrar e publicar no jornal. Com 11 anos, Walker vendeu seu primeiro cartum. Eram tempos de crise e toda a família precisava trabalhar e ajudar no que aparecesse. E ele era dedicado, se destacava na escola e muito rapidamente estava empregado nas lojas Hallmark, onde logo depois conquistou uma vaga no departamento de artes e revolucionou o designer de cartões de aniversários, casamentos e batizados, introduzindo o cartum nas mensagens. Terminando o ensino médio, decidiu ir para a Universidade, mas em 1943, aos vinte anos, tornou-se recruta do exército norte-americano. Ainda não sabia o quanto essa experiência agregaria em seu trabalho.


Após o fim da guerra, Walker voltou para a Universidade de Missouri e terminou o curso de jornalismo. Em 1948, foi para Nova Iorque e continuou persistindo no sonho de ser um cartunista profissional. Teve seus trabalhos rejeitados por diversas vezes, até que em 1950 ele criou um personagem chamado Beetle Bailey, estudando universitário e muito preguiçoso. Foi aceito pela Editora King Features, mas não rendeu muito sucesso e foi descartado por falta de popularidade.

via GrapHiQ
Mort Walker tem experiências de sobra para afirmar que o caminho do sucesso pode vir de uma sucessão de erros. Depois do fracasso de Beetle Bailey, ele produziu uma reviravolta no personagem, quando decidiu alistá-lo no Exército Americano! Em poucas semanas, centenas de diários em todo país continham a nova versão do personagem preguiçoso, que tentava adaptar-se e sobreviver a uma rotina rígida, com outros personagens a sua volta totalmente distintos em aparência e comportamento. 

Fotografia de Mort Walker, em 1973.
Claro que em várias ocasiões as tirinhas foram banidas da revista oficial do Exército norte-americano, com argumentos que o personagem ridicularizava e servia de mau exemplo aos soldados. Mas no final das contas, pelo ponto de vista que Beetle Bailey conseguiu se encaixar a seu modo na rigidez do exército, mesmo sendo seu lema "não deixe para amanhã o que você pode fazer depois de amanhã", foi visto como um vitorioso e com isso conquistou os leitores. Até porque naquela época, muitos deles ou serviram o exército, ou conheciam alguém lá. Passados os primeiros "choques", as forças armadas acabaram por aceitar o trabalho de Walker, convidando-o a recepções e até concedendo-lhe medalhas por serviços prestados ao humor no país.

Personagens do "Recruta Zero"

No Brasil, o "Recruta Zero" é editado em vários jornais e sua revistinha foi publicada durante as décadas de 60, 70 e 80 pela Rio Gráfica Editora, atual Editora Globo. Entre 1970 e 1973 também foi publicado como "Zé, o Soldado Raso", pela Editora Saber. Também foi exibido o desenho animado, primeiro pelo SBT nos anos 80, depois pela TV Record em 2004. Desde sua criação, alguns personagens não deram certo, mas foram poucos. Muitos deles, tornaram-se "velhos conhecidos" dos fãs das tirinhas. Sargento Tainha, Oto (seu cachorro), Platão, Dentinho, Cosme, Roque, Quindim, Cuca (o cozinheiro!), Tenente Escovinha, Martha, Srta. Tetê, Capelão, entre outros que aparecem raramente, como Bunny, a namorada do Zero.



Espero que tenham gostado de conhecer um pouquinho da história do Recruta Zero e seu criador, Mort Walker, que tem delegado a um de seus filhos (Gregory), a autoria de várias tirinhas. Para mais informações, segue a página oficial de Mort Walker, só clicar aqui.

Beijos!

0 comentários: