14 de maio de 2019

Divã de Escrita #5 - Como foram os meses de março e abril | Portão Literário

Mais um divã de escrita! E mais desabafos! Era para ser domingo mas eu quis aproveitar cada minutinho do dia com minha mãe, por isso o atraso do vídeo. Confiram o que rolou por aqui entre março e abril, ou o que "não rolou"...rs.

Clique para assistir

5 de maio de 2019

Laranja Mecânica (Anthony Burgess) | Portão Literário

Hoje vamos falar de um "classicão" da Ficção Científica, o Laranja Mecânica! Leitura conjunta com os colegas Carlos Nunes e Frankcimarks Oliveira, que também postaram vídeos em seus canais. Bora conferir!

Clique para assistir

2 de maio de 2019

Oliver Twist (Charles Dickens) | Portão Literário

Mais um Dickens pra conta! No vídeo de hoje comento sobre a obra, uma adaptação infantojuvenil e adaptação cinematográfica.

Clique para assistir

28 de abril de 2019

25 de abril de 2019

EU LI: Contos de amor, de loucura e de morte (Horacio Quiroga)

Oi gente!

Demorei um bocadinho para contar sobre minha leitura de abril do #projetodesencalha, por um motivo: não sabia como falar o melhor possível sobre um livro que não me fez tão bem. Difícil né? Como contar a descoberta de um autor maravilhoso, porém que escreve sobre temas que não me atraem tanto assim? Bem, me encorajei, então vamos lá!


Horacio Quiroga foi um escritor uruguaio e é considerado o precursor do conto realista na América Latina. Não é para menos! Seus contos são sensacionais! Porém, pesados ao limite. Trágicos, repleto de fantasmas interiores e obsessão pela morte violenta. Na verdade a própria trajetória de vida do autor foi uma sucessão de tragédias: seu pai se matou quando ele tinha dois anos, seu padrasto se matou na sua frente, acidentalmente ele matou um amigo com um tiro, sua primeira mulher se matou e ele, após descobrir um câncer, escolheu adiantar seu fim com cianureto, em fevereiro de 1937. Talvez seja por isso que, nessa que é considerada sua principal obra, alguns contos falam de amor, outros de loucura, mas a maioria fala sobre morte. 

Os quinze contos de "Contos de amor, de loucura e de morte" (1917) obviamente são permeados por esses reflexos mórbidos e nem por isso são rebuscados. Quiroga conta de forma precisa, sem nada supérfluo em seus textos. Vários contos são ambientados no Uruguai, país de seu nascimento, outros na Argentina, onde escolheu morar e vemos até histórias passadas nas fronteiras com o Brasil, provavelmente devido a sua experiência de morada em algumas regiões selvagens.

"O travesseiro de plumas" e "A galinha degolada" foram para mim, de longe, os que causaram maior impacto. O primeiro conta a história de uma moça infeliz no casamento, por sofrer com os maus tratos do marido. Tudo começa com uma gripe, até que ela se vê impossibilidade de sair da cama, caminhando para a morte. Porém, a real causa de sua morte, revelada no final, me deixou horrorizada. Já o segundo é sobre um jovem casal que tem quatro filhos doentes e uma quinta menina com perfeita saúde mental. Ao deixar os quatro filhos de lado para preferir a menina saudável, culminam em um final cruel e repulsivo. É só um resuminho viu? Imagine-se lendo as quinze histórias, densas e nebulosas, nesse nível.

E todas as demais "desgraças" presentes nos contos me causaram um mal estar sim, mas não posso negar a genialidade e a qualidade literária da obra. Uma grande lástima o autor não ser tão mencionado no Brasil! Para quem interessar, encontrei um vídeo da Academia Brasileira de Letras, do Ciclo de Conferências "Literatura e loucura" de 2018, em que o tradutor e jornalista Eric Neponucemo palestra divinamente sobre o autor e sua obra, inclusive lendo o conto "O travesseiro de plumas". Só clicar:


Boa leitura!