17 de agosto de 2018

EU LI: Angola Janga (Marcelo D'Salete)

Oi gente!

Na semana passada eu li essa HQ maravilhosa que comprei para compor os títulos do meu projeto África lá do canal. Nem todos eu consigo fazer vídeo, mas no final do ano pretendo compilar todos os links de resenhas em vídeos e escritas em uma única postagem. E também acho que algumas obras, como essa aqui, são melhor mostradas no formato escrito, com algumas fotos das páginas internas.

Vamos então falar dessa graphic novel linda que é Angola Janga - Uma história de Palmares, de Marcelo D'Salete! \o/


O Marcelo é quadrinista e mestre em história da arte pela USP - Universidade de São Paulo. Angola Janga é o produto de 11 anos de pesquisa sobre o mais conhecido movimento de resistência negra da época do Brasil Colônia. Já o título da graphic origina-se da língua quimbundu e quer dizer "pequena Angola", assim chamada a região de Palmares pelos negros que lá habitavam.


O bacana da obra é que o autor une ficção com realidade e reconta a história do principal líder do Quilombo dos Palmares, o Zumbi dos Palmares, que a gente sempre lembra de ter visto nos livros da escola. Só que diferente do que aprendemos nos livros da escola sobre Palmares (que aliás é muito pouco), em Angola Janga nós repassamos os acontecimentos pelos olhos das pessoas que estavam lá. Isso mesmo, pelos olhos dos negros nós imaginamos como eram suas vidas, já que os únicos registros documentados na história foram escritos por governantes e soldados, cujos interesses eram destruir os locais de resistência. 

Como leitora, senti a essência dos fatos, mesmo que possam não ter sido exatamente assim!


Marcelo também cita outros personagens importantes como Ganga Zumba, Ganga Zona e Antonio Soares. Com muita criatividade desenvolve outros personagens e leva o leitor a aprofundar-se nas suas trajetórias, sempre tentando conectá-los com alguns fatos registrados, como uma das tentativas de acordo de paz entre a Coroa Portuguesa e o quilombo. 

Eu curti muito a leitura! Achei que o autor conseguiu passar sua vontade de entregar uma releitura da história de Palmares, partindo do olhar dos protagonistas negros. A cada virada de página, encontramos pessoas buscando a liberdade, o controle de suas vidas. Conhecemos seus medos particulares, seus conflitos familiares, seus anseios em entender qual era seu papel no mundo, além das correntes a que eram submetidos. 


Angola Janga foi publicado pela Editora Veneta e possui 432 páginas. Os traços da graphic nos transmitem os sentimentos colocados acima, parecem carregar o drama vivido na época. Ao final do livro encontramos também um material adicional sobre a cultura afro dos mocambos, a história dos Palmares, mapas e estimativas. Tem até glossário com termos encontrados na obra!

Acho que nem preciso dizer mais nada né? Graphic Novel super recomendada, até porque eu sou do time que defende a preservação da história, mas com todas as suas verdades. Negros e índios também construíram a História do Brasil e Angola Janga traz um novo olhar sobre Palmares.

Boa leitura!

15 de agosto de 2018

Uma Baratinha em apuros e Capacetinho Vermelho (Lilia Rodrigues) | Portão Literário

Oi gente!

Hoje tem histórias para os pequenos! Parceria do Portão com a Lura Editorial apresenta dois títulos bem bacanas da autora Lilia Rodrigues. Confira!


Clique aqui para assistir.

10 de agosto de 2018

EU LI: Três Viajantes (Thiago Tizzot)

Oi gente!


No primeiro semestre desse ano eu fiz um curso de escrita aqui em Curitiba e juntamente com a Gabriela Ribeiro, o Thiago Tizzot foi meu professor. Muitas vezes você lê o livro e depois quer conhecer o escritor. Nesse caso o sentido foi inverso, eu conheci o escritor e quis ler seus livros. 

Então visitei a Arte & Letra e adquiri meu exemplar de "Três Viajantes". Para quem não conhece a Arte & Letra, é uma livraria-editora-café curitibana, sempre inclusa nas minhas indicações como ponto turístico literário em Curitiba. Os motivos? Entra no site e morra de vontade de visitar, porque agora vamos falar do livro. ;-)


“Três Viajantes” foi publicado em 2014 e descobri que seu personagem principal, o Estus, já faz parte de outras histórias do autor, que envolvem Breasal, seu mundo fictício. 

Na história Estus segue acompanhado de Rusc e Lisael, todos prisioneiros nas masmorras da Fortaleza de Perfain, quando a história dá início. Depois eles partem para uma aventura e precisam buscar respostas que envolvem registros antigos. Sim! Um dos destinos dos aventureiros é a Biblioteca de Krassen, o que nos leva a descobrir que o autor inseriu na história aspectos da literatura e amor aos livros, e que obviamente, já ganharia a leitora aqui só por isso. Mas não fica nisso! A história tem conflitos, reflexões e encontros, como a inserção de uma personagem feminina bem importante na aventura, a Aetla, uma andarilha que ajuda os três viajantes a buscarem respostas para um antigo segredo. Personagens cativantes e cenários bem bacanas!


Também preciso destacar que o livro tem notas de rodapés que indicam publicações do autor em outras obras, onde se é possível conhecer mais sobre um lugar ou personagem citado, como é o caso do “mosteiro de Nafgun”, cuja nota na página 18 aponta para o conto “Qenari” no livro “A Ira dos Dragões e outros contos”. É a primeira vez que vejo isso em um livro de fantasia e gostei bastante! 


É um livro curto, com 139 páginas, uma leitura rápida mas que justamente por isso, além de deixar no leitor aquele gostinho de quero mais, ganha minha recomendação para uso nas escolas. Assim como quando indiquei “Anna e a Trilha Secreta” da autora Ana Lúcia Merege. É de livros assim que os alunos precisam para adquirir o hábito da leitura. Objetividade, clareza, fantasia, mistério, histórias fictícias embutidas de reflexões válidas como essa de “Três Viajantes”: - É possível saber de todo o seu futuro?

Thiago Tizzot também é autor de "A Ira dos Dragões", lançado em 2009 e "Segredo da Guerra", lançado em 2005. E para quem sentiu curiosidade em conhecer o universo de Breasal, tenho uma novidade. Soube há poucos dias que no próximo ano a Arte & Letra publica “A Queda do Abutre”, a primeira HQ passada em Breasal, com textos do próprio Thiago e ilustrações de Ibraim Roberson

Eu já estou esperando!

Boa leitura a todos! 

31 de julho de 2018

EU LI: "Um Apólogo" (Machado de Assis)

Oi gente!

Sou adepta do "tudo tem seu tempo" e acho que isso se aplica inclusive às leituras machadianas. Tive a oportunidade de conhecer uma obra de Machado de Assis na escola, mas diferente de poucos que conseguiram captar a essência da obra desde muito cedo e seguir acompanhando as leituras, eu não me interessei muito na época e só li mesmo por obrigação.

Há alguns anos, na faculdade de Letras precisei reler Dom Casmurro, e qual foi minha surpresa, me encantei com Machado! Passei a ler outros trabalhos do autor e continuo seguindo a conhecer seu legado de obras maravilhosas. Tardiamente, mas com maior bagagem literária e por isso aproveitando muito mais.

Devido a essa experiência pessoal, em meus trabalhos de divulgação literária apoio muito as adaptações de clássicos, para o público infantojuvenil, ilustradas, em quadrinhos e etc. A cada dia o mercado editorial vem trazendo tantas novidades bacanas e eu acho super válido! Certamente se eu tivesse lido uma adaptação na escola, não teria ficado afastada de Machado por tantos anos.

Por isso hoje quero mostrar essa edição, que não é bem um adaptação, mas uma versão ilustrada de "Um Apólogo", de Machado de Assis! Para quem não sabe o que é um apólogo, o dicionário define como um ensinamento moral em forma de fábula. Nesse apólogo de Machado, a linha e a agulha travam uma intrigante discussão para decidir qual das duas tem mais importância na costura de um vestido.

O que me chamou a atenção foram as possibilidades de interpretação, li por duas vezes e a segunda leitura me trouxe complementos de interpretação que não obtive na primeira. Essa é uma das mágicas da obra machadiana! O texto é curto, não dá para falar da história, se você não leu, recomendo!






Pelas fotos dá para ver que a edição é bem atrativa né? As ilustrações de Ana Raquel são belas e originais. Também faço menção à escritora Susam Blum Moura, que foi quem me indicou essa leitura valiosa. E caso você se interesse pela história mas não queira adquirir em edição impressa, com certeza encontrará versões gratuitas na internet. =)

Boa leitura!

25 de julho de 2018

EU LI: Dom Quixote de La Mancha

2018 será um ano literário marcado por essa leitura. O ano em que li Dom Quixote de La Mancha! \o/

Deixo aqui na postagem os dois vídeos sobre a obra. No vídeo 2 para deixar além das minhas impressões, outras leituras que agregaram (e muito!) minha experiência com esse clássico!

Só clicar nas fotos para assistir:

Clique aqui para assistir

Clique aqui para assistir