14 de janeiro de 2021

#TBT Especial Divã de Escrita - Minha trajetória (2011 - Despertar)

Oi gente!

Nesse ano de 2021, completam-se 10 anos do meu despertar oficial para a escrita. Denomino assim porque não é novidade que sempre gostei de escrever, desde a adolescência. Mas só criei coragem para publicar meus escritos em 2012. E considero o ano de 2011 como um despertar. Em 2011, meus cabelos estavam bem diferentes do que estão hoje! Mas não só os cabelos. Eu mudei interiormente, e que bom que nós mudamos (melhoramos) com o passar do tempo né? Senão de que valeria a nossa existência? 

Então, para relembrar essa trajetória, inauguro hoje uma série de 10 postagens, contando sobre minhas conquistas e meus tropeços, os responsáveis pelos maiores aprendizados nos últimos dez anos.

No Parque Ibirapuera em SP (quando fui para o 9º Scrapbooking Show)

Em fevereiro de 2011 eu completava 37 anos e terminava minha pós-graduação em Administração, depois de duas faculdades na área de exatas, trabalhava em uma multinacional e era vista como uma workaholic, além de começar a questionar um relacionamento complicado. Naquela época era inimaginável para mim tudo que sou agora. Eu nem sonhava que hoje, em 2021, teria 5 livros publicados e participação em quase 50 coletâneas. Também nem imaginava que me formaria em Letras, que teria um canal literário, isso sem contar da vida pessoal: como estar casada e perder minha mãe em meio a uma pandemia, por exemplo. Bem, vou focar na parte escritora pois como tudo é muito recente, decidi que não vou inserir nessa série de postagens fotos com minha mãe, para não interferir no meu processo de cura emocional. Importa apenas deixar registrado que minha mãe sempre me apoiou em tudo, mesmo insegura quando disse a ela que publicaria meu primeiro livro, pois morria de medo de que eu largasse meu emprego (rs), até inflada de tão orgulhosa quando nos últimos anos assistia comigo alguns vídeos do canal.

Antes de uma reunião corporativa na multinacional onde trabalhei por 22 anos

Iniciei 2011 estabilizada emocionalmente, super bem no meu emprego e achando que meu relacionamento seria para a vida toda, mas foi justamente os questionamentos em relação a ele que me fizeram tomar alguns rumos e resgatar hábitos que estavam esquecidos. Nas horinhas de folga, para apaziguar as dúvidas e questionamentos, eu me enfiava no scrapbook, arte que me interessou depois que aprendi a fazer caixas decoradas. Na época, foi uma moda o tal do scrapbook e a internet pipocou de blogs, grupos e aulas sobre a arte composta de técnicas de recorte e colagem para guardar suas recordações mais preciosas em álbuns, mas que se ramificou em cartões, caixas, quadros decorativos, entre outros. Eu tinha um blog antigo (Blog da Ale), criado em 2004, por incrível que pareça, para escrever. Na época era uma espécie de diário, mas os textos eram tão "toscos" que eu tinha deletado tudo. Mas aproveitei o endereço válido e iniciei um blog novo para postar as minhas "artinhas", como eu chamava. 

Algumas das minhas "artinhas"

O scrapbook me ajudou muito na época. Fiz amizades, cursos e até viajei para o 9º Scrapbooking Show em São Paulo, o maior evento anual de scrapbook no Brasil (acho que não existe mais). O fato é que naqueles momentos em que eu escolhia uma foto, uma gravura, um papel decorado, para combinar com fitas, botões, tintas e adesivos, eu esquecia das angústias e entrava em um mundo colorido que era só meu e me fazia tão bem (aliás, era criticada por isso, por “fugir” da realidade). E para falar a verdade, essa sensação eu só lembrava de ter em minha vida com as leituras e com a escrita. Era assim que na adolescência eu esquecia os conflitos internos e a baixa autoestima e me sentia melhor: escrevendo.

Sempre questionadora e buscando respostas...

Foi assim que terminei o ano de 2011. Ainda empolgada com a arte do scrapbook, mas sentindo uma vontade imensa de retomar algo que por tantos anos ficou perdido. Foi então que comecei a resgatar meus escritos engavetados e guardados no computador. Iniciei 2012 publicando no meu blog, junto com as minhas artes, as poesias que escrevi dos doze aos trinta anos de idade. E foi em 2012 que eu decidi compilar essas poesias e transformá-las em um livro. Mas isso é assunto para o próximo capítulo.

Espero você no próximo TBT Especial do Divã de Escrita!

1 comentários:

Ana disse...

Então sua jornada pelo mundo dos escritores passou pelo dos artesãos? Interessante saber! Vou acompanhar essa trajetória, estou curiosa!