30 de janeiro de 2015

23ª Bienal Internacional do Livro SP - Eu fui!

Oi gente!!

Sei que não existe nesse mundo pessoa mais atrasada do que eu. Por isso sempre me faço analogia com o coelho da Alice (rs). Vê se pode. Postar fotos da Bienal que aconteceu em agosto do ano passado! Mas eu me justifico. Realmente me empenhei muito quando retornei da Bienal e de Alagoas (que também vou postar atrasadérrimo). O ano de 2014 me testou de verdade, estava com medo de não conseguir terminá-lo, é sério!!!!! Precisei descansar um pouco e retomar as forças, inclusive replanejar minha vida pessoal que passou por mudanças radicais. Agora, mais descansada e antes de divulgar o planejamento para 2015, faço questão de atualizar o blog, um espaço que é como parte da minha casa, onde registro memórias, mostro minhas artes e meus trabalhos de escritora.


Nos posts anteriores contei um pouquinho sobre a chegada da Lirityl na Bienal. Hoje vou mostrar o que mais me chamou da atenção na feira, minhas impressões e minha experiência como leitora, e não como escritora. Disso falarei no próximo post.

Olhando para essas duas primeiras fotos já dá para ter uma noção do número de visitantes né? Parece ser algo estressante e cansativo, mas confesso, para mim foi uma alegria. As pessoas que não tem o hábito de ler geralmente dão a justificativa que o país não incentiva a leitura. Até concordo que o governo não investe em educação, mas existem sim, inúmeras formas de procurar a literatura. Esse aglomerado de leitores viciados, pais incentivando filhos, estudantes procurando conteúdo, é a prova disso, quem quer busca! E tem aquisição para todos os níveis financeiros, logo abaixo eu provo.


Gostei muito da criatividade envolvida nos estandes. E não era só de grandes editoras, como a Novo Conceito (foto abaixo), que arrasou nos exemplares gigantes em volta do estande. Algumas pequenas também provaram que conseguem fazer brilhar os olhos dos leitores.


Grandes linhas editoriais como Marvel marcaram presença, obviamente. Abusaram nos cartazes, bonecos, ambientes para fotos. Além disso, algumas contavam com a presença de personagens "vivos" para encantar a criançada. E, embora eu parecesse uma lá dentro da feira, deixei esse espaço para os pequenos e segui minha caminhada...rs.


Lembram que eu falei que provava que haviam livros de todos os preços? Essa livraria oferecia livros universitários de vários cursos por R$ 10,00 cada. Era só escolher. Esse preço também se encontrava em outras livrarias ou editoras como preço único. Em espaços exclusivos para literatura infantil, encontrei livros entre R$ 2,00 e R$ 3,00.





Olha aí um exemplo de uma editora paulista (que eu não conhecia), e arrasou na decoração. O estande era tão colorido e divertido que tornava impossível passar direto sem uma paradinha para olhar as prateleiras. Também vi muitos estandes com contações de histórias (foto seguinte), e claro, eu sempre parava uns minutinhos para saboreá-las.



Bom, nessa livraria (que não anotei e por isso não lembro o nome), não parei só alguns minutos, mas estive lá pelo menos uma hora, sem contar o tempo da fila no caixa. O motivo não preciso contar né? Quem me conhece e acompanha o blog sabe o quanto sou fissurada por Tolkien! E essa livraria continha praticamente só obras dele. Foi aí que adquiri um exemplar ilustrado de colecionador de "O Hobbit" (aquele no canto inferior direito com capa de tecido e letras douradas), e me apaixonei pelo Sr. Bliss (o livro marron na parte inferior), o primeiro livro de Tolkien, voltado para as crianças e ilustrado por ele mesmo. Não comprei no dia, mas chegando em Curitiba não me aguentei e já está na minha coleção.


Durante os três dias da Bienal passei por várias editoras e livrarias. Conheci várias pessoas, troquei contatos, descobri facilidades que, como escritora, posso buscar. Não fotografei todos os encontros, então represento-os aqui com o que mais me marcou. Foi com o pessoal da Pentagrama Publicações, onde um simples convite para dividir a mesa do almoço, transformou-se em uma longa conversa e horas muito agradáveis no estande mais iluminado da feira. Energia boa, pessoas comprometidas, conteúdo do bem. Ganhei vários exemplares que já trouxeram para minhas horas de leitura, algo a mais. Em troca os presenteei com um exemplar do meu livro.


Muitas visitas e conversas depois, finalmente estava quase chegando minha grande hora. Minha hora de autógrafos!! Então fui conhecer o estande da Literarte. Já foi uma emoção ver a foto do meu livro nas prateleiras (post anterior), mas chegar no estande e "me enxergar" em meio a outros autores divulgados, foi a prova de que meu trabalho está sendo reconhecido. Fiquei sem palavras!


E por enquanto é isso gente! Na próxima sexta (o dia das postagens da Ale Escritora), eu volto para contar como foi a noite de autógrafos e mostrar várias fotos!!!

Beijos!

1 comentários:

Patricia Dias disse...

Ai que delicia, Ale! Para quem adora ler como a gente , e o paraíso !
Vc vai para a bienal do Rio?

Bjs