16 de outubro de 2015

Eu li #30 - Eu sei o que você está pensando

Oi gente!

Esta semana não renderam nem as leituras nem as resenhas. Em meio a feriado, trabalhos de faculdade e alguns imprevistos, me dei conta que a sexta chegou muito rápido. O que não é ruim né? Nem um pouco! E já que esta será a única resenha da semana, vamos de investigação policial!

Li esse livro por indicação da Vivi, do Clube do Livro, um novo grupo das amigas curitibanas e scrappers que fui convidada a participar. "Eu sei o que você está pensando" é o livro de estréia do autor americano John Verdon. E eu, logo que o peguei na livraria, já me encantei com a capa. Além de linda, brilhosa muito bem elaborada esteticamente, ela é intrigante. Aquela chamadinha ali já me prendeu, queria começar a ler lá mesmo, aí quando vi a pegada...rs. E no decorrer da história ela se revela, fica meio óbvio o motivo dela ter sido retratada na capa. 


Eu tenho uma teoria de que histórias de investigação precisam ser resenhadas de modo bem objetivo. Senão, qualquer detalhe a mais que escapa, vira spoiler! Hahaha! Então resumindo, imagine um bilhete ameaçador contendo uma poesia enigmática, vindo de um suposto psicopata que sabe exatamente o que o leitor está pensando naquele momento, e prova isso! Pois é, uma charada aparentemente indecifrável que faz David Gurney, um detetive aposentado de Nova York, esquecer sua nova (e esperava-se tranquila) vida no interior ao lado da esposa Madeleine, se jogar no caso para ajudar o ex-amigo de faculdade e vítima do tal bilhete.

O livro é narrado em terceira pessoa, mas senti que, com o detetive Gurney como personagem principal, a história foi baseada pelo seu ponto de vista. Até porque o enredo se confunde com alguns dos seus conflitos pessoais, fatos do passado, seu relacionamento com a mulher. Mesmo assim, me envolvi muito acompanhando seu raciocínio para montar o quebra-cabeça e encontrar o assassino.


O autor criou um enredo envolvente e um final imprevisível. Exatamente como tem que ser! Achei a obra bem completa no gênero policial. Tem assassinatos em série, dramas psicológicos, mentes ardilosas, um detetive inteligente. E eu como leitora, ansiosa para descobrir o assassino, confesso que caí em algumas ciladas do autor. No meio da história eu já suspeitava de uma pessoa muito inusitada. Nada a ver! Hahaha! Essas armadilhas para confundir o leitor funcionam o tempo todo.

Penso que o livro pode não agradar a alguns, porque tem um começo descritivo demais e um pouco lento. Para quem não conhece muito o gênero, talvez seja um pouco sacrificante a leitura. Mas eu garanto que pouco antes da metade do livro você já não quer mais largá-lo. Aceita o desafio?


Em tempo, esse marcador lindo eu ganhei no ano passado, da amiga Analu, também scrapper e integrante do Clube do Livro. Achei que super combinou com o livro!

Beijos!

2 comentários:

gildett marillac disse...

Já estou querendo ler, melhor que um bom livro é uma boa resenha... Daí anoto na agenda na parte de livros para comprar, e quando me deparo com uma boa livraria, vamos lá...Beijos amiga obrigada!Que tenhamos uma boa semana!

Déa Café disse...

opa! foi pra minha lista! :)